Com uma expressiva expansão internacional, alcançando mais de 130 países, o Netflix tem se consolidado como o principal serviço de streaming do mundo. Impulsionada por novos documentários, séries e filmes, a empresa também tem apostado em produções originais italianas.

Da história de um dos políticos mais famosos do país europeu ao comportamento de grupos mafiosos, passando pelo polêmico assassinato de uma jovem estudante britânica em terras italianas. Esses são alguns dos roteiros relacionados ao país da bota que podem ser vistos na plataforma.

Em novembro de 2016, estreou um documentário sobre o ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi, um dos personagens mais controversos dos últimos 20 anos na política internacional. “My Way” (“Meu Caminho”, em tradução livre) tem direção de Antongiulio Panizzi e é baseado no livro homônimo do jornalista norte-americano Alan Friedman.

Entre as mais de 100 horas de entrevistas, concedidas ao longo de 18 meses, Berlusconi fala sobre temas como escândalos sexuais, acusações de corrupção contra ele e a amizade com o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Por sua vez, uma das produções italianas mais emblemáticas no Netflix é o documentário “Amanda Knox”, que conta sobre um dos crimes mais midiáticos da história recente do país. Lançado em setembro do ano passado, o longa é de autoria dos cineastas norte-americanos Rod Blackhurst e Brian McGinn e narra o assassinato da estudante britânica Meredith Kercher e seus desdobramentos por meio de quatro perspectivas diferentes: da norte-americana Amanda Knox, do seu ex-namorado Raffaele Sollecito, do promotor italiano Giuliano Mignini e do jornalista do “Daily Mail” Nick Pisa.

Knox e Sollecito foram acusados de matar a britânica e chegaram a ser condenados e presos, mas acabaram absolvidos. Já na categoria “moda italiana”, o documentário “Franca: Chaos and Creation”, dirigido por Francesco Carrozzini, traz a história da lendária editora da “Vogue Italia” Franca Sozzani, morta em 22 de dezembro de 2016.

Entre as séries italianas, há a recém-lançada “Suburra”.

Inspirada em um livro homônimo, a atração, que está em sua primeira temporada, conta a história de três jovens, Aureliano, Spadino, e Gabriele, que tentam, cada um a sua maneira, sobreviver em meio às disputas de poder em Roma.

A série explora as ações da máfia, as rotinas de famílias ciganas, traficantes de drogas, políticos, nobres e do Vaticano para garantirem seu quinhão no projeto de construção de um porto em Ostia, distrito litorâneo de Roma.

Para 2018, a Netflix já iniciou a produção de mais duas séries originais. A primeira, de quatro episódios, contará a rotina dos jogadores da Juventus, primeiro time de futebol a protagonizar uma atração feita pela empresa norte-americana.

Já a segunda, chamada “Baby”, será um drama inspirado em fatos reais sobre o escândalo “Baby Squillo”, uma trama que envolveu políticos, advogados, empresários e até mesmo o esposo da neta de Benito Mussolini em um esquema de prostituição juvenil ocorrido em 2014.

Com oito episódios, a série, produzida pela Fabula Pictures, tem roteiro escrito por um grupo chamado “Grams”, que inclui Antonio Le Fosse, Eleonora Trucchi, Marco Raspanti, Giacomo Mazzariol e Re Salvador.

Catálogo

Quanto aos filmes italianos disponíveis no serviço de streaming, existe um catálogo diferente para cada país, e novas produções são adicionadas a cada mês. Atualmente, é possível degustar grandes sucessos, como os filmes “A Grande Beleza”, de Paolo Sorrentino; “Amor eterno”, de Giuseppe Tornatore; “Viva a Liberdade”, de Roberto Andò; “Um sonho de amor”, de Luca Guadagnino; e “Era uma Vez no Oeste”, de Sergio Leone.

Além desses, estão disponíveis “La Coppia dei Campioni”, com direção de Giulio Base; “Um herói solitário”, de Gianni Amelio; “Um dia essa dor será útil”, de Roberto Faenza; “The Best Offer”, de Tornatore; “Neverlake”, de Riccardo Paoletti; “Benvenuto Presidente!”, de Riccardo Milani; “Slam: Tutto per uma ragazza”, de Andrea Molaioli; e “Honra e Lealdade”, de Alessandro Pepe.

Com diversas novas produções originais, o Netflix tem conseguido se firmar cada vez mais no mercado internacional. No segundo trimestre de 2017, a empresa atingiu cerca de 5,2 milhões de novos assinantes e superou a própria expectativa, de 3,2 milhões. Além disso, ultrapassou a marca de 100 milhões de clientes pelo mundo. (ANSA)