Comunità Italiana

Com 43 mortos, termina operação de buscas em Gênova

 

Cinco dias após o desabamento da ponte Morandi em Gênova, na Itália, terminam as buscas por desaparecidos. Segundo a equipe de resgate, os três últimos corpos foram encontrados ao longo da noite de sábado (18), levando o total de mortes a 43

De acordo com a prefeitura, nove pessoas ainda estão no hospital, dentre elas, quatro em estado crítico. Embora todas as pessoas apontadas como desaparecidas já tenham sido localizadas, o representante dos bombeiros Stefano Zanut disse à TV local Sky TG24: “Nosso trabalho continua para termos total certeza de que ninguém tenha sido deixado sob os escombros.”

No domingo (19), o governo italiano, por meio de entrevista publicada pelo jornal local II Menssaggero, divulgou que irá lançar um novo plano de infraestrutura no país

O subsecretário do gabinete do primeiro-ministro, Giancarlo Giorgetti, disse que o projeto inclui autoestradas, pontes e viadutos, além disso prédios públicos, como escolas também serão construídos. Ele não especificou o custo do plano, mas disse que “déficit, PIB ou regras europeias não existem”.

Segundo ele, “será uma operação de manutenção sem precedentes, com investimentos enormes em trabalho público”, conclui.

O governo começou o procedimento com o objetivo de revogar concessões da Autostrade, empresa que pagará 500 milhões de euros a Gênova após desastre.

Luto

Na manhã de sábado (18), o governo italiano anunciou um dia de luto nacional de Gênova e programou um funeral coletivo em homenagem aos mortos, mas muitas famílias preferiram não participar e enterraram seus parentes de maneira privada. Famílias de 17 das 38 vítimas boicotaram.

Sobre o colapso

O desabamento ocorreu na manhã da última terça-feira (14) durante uma forte chuva que atingia a região. A maior parte da estrutura caiu no leito do córrego Polcevera, mas trechos enormes caíram sobre casas, nos galpões e nas ruas abaixo. Luigi D’Angelo, funcionário da Defesa Civil italiana, disse à Reuters que havia cerca de 30 carros e entre 5 a 10 caminhões no trecho da ponte que desabou.

O governo da Ligúria informou que 432 pessoas, de 11 prédios, foram obrigadas a ficar fora de casa após a queda da ponte.

(G1)