A decisão entre Milan, Turim, ou Cortina sairá em 10 de julho

(ANSA) – As cidades de Turim, Milão e Cortina d’Ampezzo, na Itália, apresentaram nesta terça-feira (3) os dossiês de suas candidaturas para sediar as Olimpíadas de Inverno de 2026.

As documentações foram entregues ao Comitê Olímpico Nacional Italiano (Coni), no último dia do prazo dado pela entidade, que deve anunciar a candidatura que representará o país na próxima reunião de seu conselho, em 10 de julho.

“Nos próximos dias, encontrarei os representantes das três cidades na disputa”, afirmou o presidente do Coni, Giovanni Malagò. A última a apresentar seu dossiê foi Turim, cuja prefeita, Chiara Appendino, do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), enfrenta resistência dentro de seu próprio partido ao projeto olímpico.

Além disso, o prefeito de Milão, Giuseppe Sala, descartou qualquer hipótese de uma candidatura conjunta com a capital do Piemonte. “Eu ofereci uma colaboração com Turim no início, mas agora seguiremos em frente, e o governo decidirá”, disse.

A Itália é governada atualmente pelo M5S e pela ultranacionalista Liga, que podem defender candidaturas diferentes. Se o movimento antissistema comanda Turim, a legenda de extrema direita governa as regiões da Lombardia, cuja capital é Milão, e do Vêneto, onde fica Cortina d’Ampezzo.

Contra Turim, pesa o fato de a cidade já ter organizado os Jogos de Inverno, em 2006 – Cortina também sediou o megaevento, mas no distante ano de 1956. O pequeno vilarejo Vêneto de 6 mil habitantes também conta com o apoio de Trentino-Alto Ádige, região vizinha que receberia algumas modalidades, como patinação e hóquei.

A cidade vencedora na Itália disputará o direito de sediar os Jogos de 2026 com Calgary (Canadá), Graz (Áustria), Estocolmo (Suécia), Erzurum (Turquia) e Sapporo (Japão).