Ao menos três casos de Chikungunya, doença transmitida por mosquitos como o Aedes Aegypti e Aedes Albopictus, colocaram a cidade de Anzio, na Itália em alerta.

A comuna, que fica na região de Lazio, na província de Roma, determinou nesta sexta-feira (8) a desinfecção de toda a área e bloqueou as doações de sangue pelos próximos 28 dias. As pessoas atingidas pela doença estão sendo medicadas e não correm risco de vida.

Além disso, a região de Lazio emitiu uma circular para profissionais médicos e enfermeiros de toda a localidade para ficarem mais atentos com pessoas que possam apresentar sintomas de doença.

Também convidaram os cidadãos que apresentaram qualquer tipo de sintoma comum da Chikungunya, como febre alta, dor nas articulações e erupções cutâneas, busque atendimento médico rapidamente.

“Provavelmente, o número total dos contágios é superior a três. Mas, a zona já está sendo desinfetada e a chegada do outono impedirá que a epidemia se estenda além”, disse o diretor do departamento de Doenças Infecciosas do Instituto Superior de Saúde, Gianni Rezza.

Não é a primeira vez que a Itália registra casos da doença em território. Em agosto de 2007, foram notificados os primeiros casos autóctones, ou seja, contraídos dentro do país, na região de Emilia-Romana. (ANSA)