Sátira relacionando a tragédia em Gênova com a crise migratória

O jornal satírico francês ‘Charlie Hebdo’, alvo de um atentado terrorista em janeiro de 2015, ironizou em sua edição desta quinta-feira (23) o desabamento da Ponte Morandi, em Gênova, na Itália, que deixou 43 pessoas mortas

A charge critica a qualidade da infraestrutura italiana e ainda faz relação com a crise migratória no Mediterrâneo. Na imagem, a ponte aparece no alto do lado esquerdo, acima de um carro destruído, enquanto um homem negro varre o chão com uma vassoura.

“Construída pelos italianos… Limpa pelos imigrantes”, diz a charge. Nos últimos anos, o “Charlie Hebdo” sempre deu espaço às tragédias da vizinha Itália, com capas polêmicas sobre o terremoto de Amatrice, em 24 de agosto de 2016, e a avalanche sobre o hotel Rogopiano, em 18 de janeiro de 2017.

O jornal é conhecido por suas sátiras do profeta Maomé, que serviram de motivação para um atentado terrorista em janeiro de 2015, quando os irmãos Said e Chérif Kouachi invadiram a redação do semanário e mataram 12 pessoas

(Agência ANSA)