A memória do físico italiano está preservada na residência

Na última sexta-feira (12), a casa onde o físico italiano Galileu Galilei (1564-1642) viveu seus últimos anos foi reaberta, depois de passar por um período de renovação. A vila Il Gioiello, localizado na colina de Arcetri, em Florença, apresenta objetos e decorações que contam o dia a dia e a memória do cientista na residência na qual ele foi confinado em prisão domiciliar.

Alguns ambientes da casa foram totalmente reconstruídos baseados em documentos da época. Incluindo o estúdio de Galileu, que ganhou móveis autênticos do século XVI, escolhidos por antiquários guiados pelo inventário do cientista.

Artesãos reconstruíram cadernos com cópias das anotações de Galileu acerca do movimento dos astros. No cômodo onde o físico morreu, um baixo-relevo o representa com seus discípulos. A cozinha também foi reconstruída, sob curadoria da Accademia dei Georgofili. O projeto foi proposto pela Fondazione Cr Firenze, em colaboração com a instituição “Il Cole di Galileo”. Também foram instalados monitores que mostram uma ampla documentação proposta pelo Museu Galileu, em Florença, sobre as obras produzidas pelo físico.