José Graziano foi homenageado pela cidade de Forlimpopoli

(ANSA)

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, recebeu um prêmio em Forlimpopoli, na Itália.

O brasileiro foi homenageado com o “Prêmio Artusi”, concedido a personalidades que se destacam pela originalidade na reflexão sobre a relação entre o homem e a comida. A honraria é dada pela Prefeitura de Forlimpopoli, em memória do escritor de gastronomia Pellegrino Artusi.

De acordo com o Comitê Científico da Casa Artusi, Graziano foi escolhido “por seu trabalho extraordinário desenvolvido para sustentar as comunidades locais, fundado nos conceitos de comida saudável e biodiversidade agrícola e alimentar”.

O prêmio já foi entregue pessoas como o economista bengalês Muhammad Yunus, vencedor do Nobel da Paz, em 2001; ao Comitê da Luta contra a Fome na Itália, em 2007; ao ativista ambiental Wendell Berry, em 2008; e ao fundador do movimento Slow Food, Carlo Petrini, em 2016.

Além de diretor da FAO, com sede em Roma, Graziano é criador do programa “Fome Zero”, aplicado desde o governo Lula para enfrentar a miséria no Brasil. Na época, ele atuou como ministro extraordinário de Segurança Alimentar e Combate à Fome.