Visita marca a intenção de relações mais próximas e ajuda em setores estratégicos

Um encontro histórico. Assim definiu a visita desta manhã (5) ao presidente eleito Jair Bolsonaro o embaixador da Itália, Antonio Bernardini. A visita foi organizada pela revista Comunità Italiana e teve a participação do já indicado ministro da Economia Paulo Guedes, dos cônsules Filippo La Rosa e Paolo Miraglia, e do editor Pietro Petraglia.
No encontro, Bolsonaro reafirmou a intenção de enviar logo que possível o terrorista Cesare Battisti para a Itália e disse que o país europeu é uma nação amiga que deverá caminhar junto com seu governo.
O ministro Paulo Guedes, por sua vez, destacou a necessidade de diminuir a máquina pública através da liberalização do mercado e reafirmou que graças à eleição de Bolsonaro “o país não vai virar uma ditadura como países vizinhos”.

Cônsul italiano no Rio de Janeiro Paolo Miraglia, embaixador italiano no Brasil Antonio Bernardini, presidente Bolsonaro, cônsul italiano em São Paulo Filippo La Rosa e editor da revista Comunità, na casa do presidente eleito

O embaixador Bernardini falou dos laços históricos que unem os dois países e dos potenciais existentes entre empresas brasileiras e italianas. Lembrou de acordos com a Embraer e de empresas fortes italianas como Enel, Pirelli, Tim e Fiat.
O presidente eleito também felicitou a revista Comunità Italiana pelos 25 anos que serão completados no próximo ano e disse que admira a cultura italiana e as tradições do país europeu.
O encontro foi realizado na sala da casa de Bolsonaro num clima festivo e de recordações das origens familiares italianas do presidente.
Ao final Bernardini se despediu com um “Forza Bolsonaro!”.