Os mercados acionários da Europa mantiveram as perdas na segunda-feira (12), com os investidores observando as discussões sobre a saída do Reino Unido da União Europeia e as incertezas que rondam o plano orçamentário da Itália

Ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 1,01% aos 362.03, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 1,05% a 19.055; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 0,64% a 9.076; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 1,77% aos 11.325; o CAC 40 (Paris) recuou 0,93% a 5.059; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,575 aos 4.992.

Nesta sessão, os investidores observaram atentamente os próximos movimentos feitos na Itália para fechar o plano de orçamento e no Reino Unido sobre o Brexit. Os dois fatores pesaram na moeda compartilhada da Zona do Euro e a arrastou para seu nível mais baixo desde junho de 2017.

A primeira proposta orçamentária de Roma para 2019, incluindo um déficit inflacionário, foi rejeitada no mês passado. Considerando que a Itália é a terceira maior economia da Zona do Euro, o temor é de que o País não terá condições de controlar sua dívida, já que o prazo para a entrega do orçamento termina amanhã.

Há pouco, o euro estava em queda de 0,76% a US$1.1257 em Nova York.

Já sobre o Brexit, na sexta-feira o ministro dos Transportes, Jo Johnson, renunciou e despertou ainda mais as atenções para as negociações entre Bruxelas e Londres.

A fronteira da Irlanda continua a ser um dos principais pontos de discussão, enquanto cai a confiança de que a primeira-ministra Theresa May será capaz de obter um acordo através de mudanças parlamentares de semana para semana.

De outro lado, a libra esterlina também opera no vermelho a US$1.2862, queda de 0,91%.

Ainda segue pesando no humor dos investidores a temporada de balanços, sendo que mais de 54% das empresas já relataram os resultados.

Na Europa não foram apresentados indicadores.