A Bolsa de Valores de Milão fechou mais um pregão em queda nesta sexta-feira (25), com desvalorização de 1,54% em seu principal índice, o FTSE MIB, em 22.398 pontos

A “Borsa Italiana” já queimou cerca de 51 bilhões de euros em capitalização desde o último dia 15 de maio, quando as incertezas ligadas à formação do novo governo na Itália passaram a condicionar os mercados.

O primeiro-ministro encarregado Giuseppe Conte, apoiado pelo antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e pela ultranacionalista Liga, deve anunciar seu gabinete nos próximos dias. Investidores temem que seu programa de governo piore a situação das contas públicas italianas.

O “spread” entre os títulos de Estado da Alemanha e da Itália, indicador usado normalmente como reflexo da confiança dos investidores no país, subiu de 191 para 204 pontos. Outras bolsas europeias também tiveram desempenho negativo nesta sexta, como a de Madri (-1,7%), afetada pela crise política que ameaça o primeiro-ministro Mariano Rajoy.

(Agência ANSA)