Réu por evasão de divisas, o italiano colocou a tornozeleira em Campo Grande (MS)

Cesare Battisti colocou, nesta terça-feira (19), em Campo Grande (MS), a tornozeleira eletrônica, por determinação da Justiça Federal.

A defesa do italiano havia solicitado que a medida fosse cumprida em São Paulo, já que Battisti mora no litoral paulista, mas a solicitação foi negada.

De acordo com a Ansa, o pedido feito teria sido justificado pelos advogados de defesa por falta de condições de Battisti fazer uma longa viagem.

Battisti recebeu essa tornozeleira por ser réu em evasão de divisas.

O italiano foi acusado de tentar entrar na Bolívia com mais de r$ 20 mil em moeda estrangeira – o que viola as regras da Receita Federal.

Na época, o ex-guerrilheiro foi preso em Corumbá (MS), mas foi solto após dois dias.

O habeas corpus foi dado pelo desembargador José Marcos Lunardelli, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 3° região, em São Paulo.

O plenário da corte aprovou a decisão, porém com o uso da tornozeleira.

Battisti alega inocência e diz que ele iria viajar para a Bolívia para comprar roupas e artigos de pesca.

Segundo a Ansa, ele também afirmou que o dinheiro não era apenas dele, mais de outros dois amigos que o acompanhariam.