A campanha pela abertura de consulados da Itália em Florianópolis (SC) e Vitória (ES) avança e entrará em uma fase crucial de negociações com os dois estados nas próximas semanas.

A iniciativa é coordenada pela Câmara Italiana de Comércio e Indústria, cujo conselheiro, Diego Mezzogiorno, deve se reunir na semana que vem com o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, para começar a definir que tipo de estrutura o estado pode oferecer à Itália.

O mesmo processo já está sendo feito pelo Espírito Santo, e Mezzogiorno acredita que os novos consulados podem sair do papel até março ou abril de 2018. “Para bater o martelo, creio que haverá uma caravana a Roma”, acrescentou.

O projeto conta com o apoio das bancadas estaduais no Congresso Nacional e é um pleito antigo das comunidades italianas capixaba e catarinense, que hoje são atendidas, respectivamente, pelos consulados do Rio de Janeiro (RJ) e de Curitiba (PR).

Mezzogiorno também esteve recentemente com o embaixador do país europeu, Antonio Bernardini, e ouviu uma reação positiva. “Jantei com ele em Brasília, e o embaixador deu todo o apoio”, contou.

Em junho passado, em um comentário a uma matéria publicada pela ANSA, Bernardini já havia se manifestado a favor das novas representações diplomáticas. “Reforçar a presença consular italiana em Santa Catarina e no Espírito Santo é uma ideia que subscrevo plenamente”, escreveu o diplomata na ocasião.

Ainda de acordo com Mezzogiorno, o modelo mais provável para Vitória e Florianópolis pe o de “escritório consular”, uma espécie de consulado menor, com menos custos e funcionários e mais voltado a trâmites burocráticos. (ANSA)