Menina cigana de 13 meses foi baleada por aposentado

(ANSA) – O presidente da Itália, Sergio Mattarella, fez um duro discurso sobre a violência contra minorias no país, após um aposentado ter atirado contra uma menina cigana de 13 meses de vida da varanda de seu apartamento.

A criança, que estava no colo de sua mãe, está internada em estado grave há mais de uma semana. “Me chocou um fato do noticiário. A Itália não pode se assemelhar a um ‘faroeste’, onde um indivíduo compra um fuzil e dispara da varanda, ferindo uma menina de um ano, arruinando sua saúde e seu futuro”, declarou Mattarella, durante uma cerimônia no Palácio do Quirinale, em Roma.

“Isso é barbárie e deve suscitar indignação”, reforçou o presidente da República. O autor do tiro, Marco Arezio, de 59 anos, disse, por meio de seu advogado, que disparou sem querer.

As declarações de Mattarella chegam ao mesmo dia do desalojamento de uma acampamento cigano com 30 moradores em Roma.

Alguns nômades dizem que foram tratados como “animais”, mas a polícia afirma que a operação não exigiu o uso de força.

Recentemente, o ministro do Interior Matteo Salvini havia anunciado um projeto para realizar um “censo” dos ciganos que vivem no país, medida que foi qualificada como ilegal pela Comissão Europeia.