Qualidade do ar será “testada” com análise de mel e cera

(ANSA) – Após autorizar o uso de ovelhas para cortar a grama de parques, a Prefeitura de Roma quer utilizar abelhas para preservar a qualidade do ar da cidade.

O projeto foi criado pelas Forças Armadas, em colaboração com apicultores italianos, e permite que, a partir da análise do mel, da cera e do estado de saúde do inseto, seja possível determinar a presença de poluentes no ar.

Segundo um comunicado dos Carabinieri, o programa prevê “desenvolver pequenas, mas numerosas criações de abelha que existem em Roma, criando uma rede de 10 postos para o centro histórico ou instalações próximas”.

O apiário “Número Zero” é o da Federação de Apicultores Italianos, ativo desde 1980 e que está no Palazzo della Valle, sede da Confederação Geral da Agricultura Italiana (Confragricoltura).

Já na central das Forças Armadas, foram instaladas três colmeias para ativar o “Laboratório Número 1”. De acordo com o secretário de Ambiente de Roma, Edagr Meyer, o “‘Apincittà’ será útil do ponto de vista ambiental, mas também será interessante para a sensibilização e educação dos cidadãos sobre a biodiversidade urbana”.