Yara Gambirasio comoveu toda a Itália com seu desaparecimento e a descoberta de sua morte em 2010

Nesta segunda-feira (17), foi definida a pena de prisão perpétua a Massimo Bosseti, o pedreiro de 47 anos acusado pelo homícidio e tentativa de estupro da ginasta italiana, com de 13 anos na época.

A Corte de Apelação de Brescia divulgou a sentença, que ainda pode ser revista pela Corte de Cassação, nos primeiros minutos do dia de hoje (18) e recebida com tristeza pela esposa do acusado, Marita Comi, que sempre acreditou na inocência de Bosseti.

A jovem caminhava do ginásio para sua casa, na cidade de Brembate di Sopra, no dia 26 de novembro de 2010, quando desapareceu. Seu corpo foi encontrado apenas três meses depois, já em 2011, no município de Chignolo d’Isola. A causa da morte foi uma pancada na cabeça, causada provavelmente por uma pedra, além de seis facadas.

A menina que também sofreu tentativa de estupro, tinha em seus pulmões vestígios de pó residual de construção civil e DNA, compatível ao de Bosseti, na calça. O pedreiro foi identificado apenas três anos depois, em 2014, e sempre jurou inocência no crime. A primeira sentença tinha sido anunciada em 2016.

“Hoje se assistiu à derrota do direito”, declarou o advogado de Bossetti, Claudio Salvani, que irá recorrer.