Em 24 horas a Itália registrou quatro casos de feminicídio

A preocupação em torno à violência contra as mulheres no país ressurge com dois casos na última quinta feira (13) e mais outros dois na sexta (14). Donata De Bello, 48 anos, foi morta pelo namorado a facadas em Bari, ao sul da Itália, durante uma discussão do casal.

O segundo caso ocorreu em Dragoni, Maria Tino de 49 anos foi baleada três vezes pelo ex-marido, Massimo Bianchi, 61, de quem vinha tentando se separar, ela havia sobrevivido a 25 facadas do agressor há um ano atrás.

Os casos desta sexta-feira, envolvem um operário de 56 anos que esfaqueou a ex-mulher, uma romena de 42, o assassinato aconteceu na Toscana, na véspera da audiência sobre o divórcio.

Em Roma, Mirella Fiaccarini de 81 anos foi sufocada com uma sacola plástica pelo marido, um senhor de 79 anos, Luigi Biasini. Os dois estavam doentes, após matar a esposa, Luigi se atirou do quinto andar de um prédio e também morreu.

Também na sexta feira houve uma tentativa de homicídio, Riccardo Madau, 25, espancou a namorada, Manuela Picci, 26, na Sardenha. Logo depois o rapaz, que achava que Picci estava morta, se jogou de um viaduto e faleceu. Porém a jovem continua viva, internada em coma induzido.

Outro caso que causou horror em toda Itália foi a denúncia contra um senhor de 54 anos, dono de uma estética,  por ter abusada de quatro estagiárias menores de idade, ele foi preso.

Em 2016: Foram registrados 120 casos

O país registou 120 casos de feminicídio em 2016, ou seja, um a cada três dias. Nos 5 primeiros meses deste ano, houveram 9 casos, o que indicava uma diminuição, porém com os episódios dos últimos dias colocaram as autoridades em alerta novamente.

“Em menos de 48 horas, quatro mulheres assassinadas e uma em fim de vida pelas mãos de seus companheiros. Homens, estejam conosco para interromper esse horror”, escreveu a presidente da Câmara dos Deputados da Itália, Laura Boldrini, via Twitter.

Segundo pesquisas do Instituto Nacional de Estatística (Istat), 31,5% das mulheres na Itália afirmam ter sofrido algum tipo de violência, seja física ou sexual, de um homem no decorrer de suas vidas. Nos últimos 10 anos, 1, 25 mil mulheres foram vítimas de crimes em família e 1,7 mil mulheres foram assassinadas.