Por causa do mau tempo, travessias deste tipo se tornam mais perigosas

Foram resgatados 255 imigrantes no Mar Mediterrâneo entre a noite desta segunda-feira (25) e esta terça-feira (26).

A informação foi cedida pela Central de Operações da Guarda Costeira da Itália.

Foram utilizadas apenas as duas embarcações de ONGs que trabalham nesta área neste período do ano, a Proactiva Open Arms e a Aquarius.

O navio da Força de União Naval no Mediterrâneo da União Europeia (EU Navfor Med) também foi utilizado.

Ao todo, segundo a Ansa, foi necessário três operações, todas coordenadas por Roma, para resgatar as 255 pessoas.

Durante a primeira operação, 134 pessoas foram resgatadas, nos outros dois que aconteceram poucas horas depois, as outras 121 foram alcançadas.

Porém, de acordo com a Ansa, as equipes ainda procuram por um quarto barco.

Foi feito um pedido de socorro, porém não se sabe quantas pessoas havia no transporte e ele ainda não foi localizado.

As travessias no Mar Mediterrâneo, especialmente entre a Líbia e a Itália ficam mais perigosas neste período por causa das condições climáticas.

Este é um dos grandes motivos de nesta época (dezembro e janeiro) as ONGs que atuam nestas regiões, que chega a 15, diminuírem muito.

O número de resgates em 2017 foi de 118.914 pessoas até o dia 22 de dezembro, 33,8% menor do que em 2016, durante o mesmo período.